1

Enquanto você dormia


Deveria estar dormindo agora, do seu 
lado, abraçadinho, sentindo seu cheiro e ouvindo o leve som da sua respiração da mesma forma como fizemos ontem. Eu bem que tentei fazer isso, mas não consegui, pelo contrário, aqui estou, escrevendo, vendo você dormir, sem saber o que faço com este medo que tenho de não mais te ver dormir pertinho de mim quando seus olhos se abrirem. Daqui à poucas horas o sol surgirá e eu não sei ao certo se devo te acordar com um beijo no rosto, um bom dia sorridente, um café da manhã ou mesmo se devo deitar e fingir estar dormindo só para descobrir de que forma tu me acordaria. A única coisa que sei é que você partirá e eu não sei ao certo se você já sabe o caminho de casa, porque se você não decorou não tem problema, eu te ensino, eu não me importo de fazer todo caminho de volta quantas vezes forem necessárias, até que tu tenha aprendido como chegar até mim. Mas eu tenho medo, sabe? Eu tenho medo que você não queira aprender, eu tenho medo que você já saiba e finja não saber. Ai... Como eu queria poder te acordar agora, nesse exato instante, só pra dizer “ te quero aqui comigo pra sempre”, só para explicar o quanto eu acredito nesse eu e você que ainda não é um “nós”. Que talvez nunca chegue a ser...  Eu sei que posso estar sendo um pouco precipitado e exagerado nas palavras, mas se faço dessa forma é porque eu quero estar perto para poder acompanhar as suas reações e ler as suas expressões faciais, porque depois... Depois você estará longe e haverá um monitor de computador entre nós, aonde eu poderei ler apenas as suas palavras, da mesma forma como era semana passada quando nos falamos pela primeira vez.  Eu tenho tentado não pensar, sabe? Não planejar tanto essas coisas que a gente deveria apenas sentir, mas eu tenho um jeito de sentir que amedronta as pessoas, porque é de um jeito sincero, pleno, puro. E eu descobri , que o problema não é o que eu sinto, mas sim o que eu não consigo esconder. Por que se eu não fosse tao transparente com os meus sentimentos, tu não veria em mim a fragilidade que lhe fez dizer: “eu tenho medo de te machucar”. Você veria em mim apenas aquilo que todos vem, mas eu confiei em ti o meu verdadeiro Eu:  imperfeito e de uma sinceridade suicida  E antes de você partir, você precisa saber, você precisa estar ciente que embora eu pareça frágil, eu sou forte. Forte o bastante para correr o risco, forte o bastante para recompor os pedaços caso tudo se quebre, forte o bastante para recomeçar do zero (não seria a primeira vez e nem a última). Acredite em mim quando digo que sou forte, porque é preciso ser forte para dizer o que se pensa, agir de acordo com o que se sente e ser aquilo que se é. Olha... Pra mim tudo bem se você partir e nunca mais voltar, mas fique sabendo que em quanto você dormia eu sonhei acordado, eu sonhei olhando pra ti um sonho bom onde a felicidade morava em um sorriso teu. Um sonho besta, onde o tempo parava e a gente vivia este agora para sempre. E é exatamente isso que eu vou fazer, eu vou me ajeitar do seu ladinho e viver este agora que é tudo o que tenho, talvez quando você acordar eu já estarei dormindo de verdade. E algo me diz, que eu saberei da forma como serei acordado, se devo ou não mostrar este texto que escrevi pra você enquanto você dormia.


texto de Luan Emilio Faustino

Um comentário:

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover