0

Pequenas Tragédias Cotidianas


Eu sei o que você faz a essa hora da noite, amor. Sei como vai ligar um programa de televisão, colocar seu colchão no chão, ascender um cigarro e cochilar. Talvez, levantarás sentindo-se culpado. Então tentaras desenvolver mais um programa de computação. Vai ficar nervoso porque um determinado código não funciona, ascenderás um novo cigarro e começarás a prestar mais atenção na televisão, quase vencido. Você irá rir de alguma piada, com aquele seu jeitinho de sorrir, assim, fazendo aquele som pelo nariz, como quem sorri com um sopro. O cigarro vai acabar. Você inevitavelmente, vai olhar mais um site, assistir algum vídeo recomendado por um amigo no email. Talvez faça um macarrão. Melhor deixar as grandes façanhas da computação pra manhã. Entediado, acaba dormindo, sonhando com seus próprios pensamentos. Na manhã seguinte, irá procurar alguma amante, alguém que, de forma descompromissada, possa elevar seu cotidiano as intensas emoções. Relacionamentos, amizades coloridas, sexo... essas emoções que possam te fazer sentir no jogo da vida, quando todo o resto falha. 
Eu posso ver cada passo seu, porque eles foram os mesmos, durante todos esses anos. O seu cheiro, foi o mesmo, durante todos esses anos. E ainda me lembro da minha tolerância, toda vez que você tentou mudar. E a cada vez que os nomes das meninas-acaba-tédio mudavam no seu celular. Cada vez que uma era trocada por outra e por outra. Pobres coitadas, todas nós. Eu ouvia teus suspiros quando você vencido, voltava a sua rotina, cheio de raiva. E todas as minhas tentativas de seduzir você para uma vida simples, de te tentar fazer ver a grande aventura de ser simples, com receitas novas, sorrisos, piadinhas sem sentido, declarações espalhadas pela casa....quando eu te puxava pelos braços, todas as vezes que você passava por mim pela casa e te implorava atenção, implorava para que você visse a grande aventura que havia nos meus olhos..Tudo em vão. 
É assim amor. As vezes acho que nunca terás consciência da miserabilidade. Eu o amava, miserável de qualquer forma. Mas isso também era chato pra ti, ainda era pouco. Mas era tudo que eu tinha pra dar.
É uma pena amor. Mas a vida é feita de grandes desencontros, aqui e ali. A vida é feita de frustração e que culpa temos disso? São imensas lástimas, como aquelas pequenas tragédias gregas tão retratadas nas obras de arte. Neste ponto, me lembro que quando criança, muito, muito antes de conhecer você, na biblioteca pública, eu fiquei horas e horas a olhar um quadro, que eu encontrei em um livro sobre arte. O quadro retratava uma tragédia grega: Diana, deusa da caça, transforma 2 caçadores em cães, porque os infelizes, sem querer, surpreendem-na durante o banho no rio. Aquilo me chocou imensamente. Eu fiquei horas e horas, tentando entender a triste sorte daqueles homens. Como pode ser tão admirável, tamanha tragédia? Mal sabia eu, que eu seria um pouco eles, um dia. Uma mulher transformada em um cão, porque estava no momento errado, no lugar errado, na hora errada. 

Diana, após o banho, de Boucher, 1742, Museu do Louvre.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover