2

A Parisiense


My Love de minha vida me presenteou com esse livro que era meu desejo já fazia um tempo. Falo da obra de Ines de la Fressange que escreveu um guia lindo sobre como as parisiense conseguem ser tão chics com looks leves e lindos.


Me interessei pelo livro enquanto fazia uma pesquisa sobre moda de Paris. Todo mundo sabe que as parisiense são referencia quando o assunto é bom gosto e estilo. 

Não bastasse o conteúdo maravilhoso, o livro por si só já é muito lindo: tem uma capa vermelha bem bonita, com escritas em dourados. Por dentro, é bem ilustrado e divertido. Vem como uma fitinha ao meio como marca texto. Lindo, lindo!

Quando a gente olha para as parisienses, temos o equívoco de pensar que são mulheres que vestem com roupas caras e que elas adoram moda. No entanto, logo no início do livro, aprendemos uma lição surpreendente: as parisiense não seguem tendências e são totalmente contra a ideia de uma mulher se carregar de grife. Para elas, isso é sinal de mal gosto e falta de conhecimento. O truque, é ter 7 peças básicas, utilizando-se (as vezes) de uma única peça de grife.

Seu guarda-roupa é habilmente composto de “coisas baratinhas”, de roupas compradas em viagens e de algumas peças luxuosas. Assim, quando usa um jeans, nunca sabemos se é Gap, Notify, H&M ou Hermès! Ela não faz o gênero de torrar todo o seu salário num must-have. Primeiro porque não tem dinheiro, e depois porque considera que tem tanto talento quanto uma estilista: por que pagar caro por uma produção que ela mesma poderia ter imaginado? A parisiense tem essa arrogância de pensar que nunca estará fora de moda. Ela não liga para a moda. Embora sempre use um pequeno detalhe provando que domina as tendências. É aí que está seu charme.


O que eu posso dizer é que depois desse livro, várias mulheres que eu considerava chics, de bom gosto, foram jogadas na lixeira. Sinceramente, não quero me tornar uma dessas mulheres que tem como ícone de moda pessoas como Cláudia Leite ou Paula Fernandes (ninguém merece). Nem tão pouco, quero passar a casa dos trinta me vestido como as menininhas do Tumblr (cada coisa no seu tempo).  
Aprendi que vestir bem é essencial, principalmente para a profissão. Mas se vestir adequadamente e ter prudência, é ainda mais importante. Por isso admiro tanto a moda de Paris. 

O truque de mesclar peças de grifes com peças básicas me encanta, mas não é tão fácil assim. Elas tem hábitos muito diferentes do nosso, por exemplo, o hábito de explorar roupas e assessórios masculinos, nunca usar peça formal com sapatos ainda mais formais (elas equilibram sempre). Por exemplo: se vestem uma calça jeans, elas optam por um escarpins. Se vestem um vestido mais formal, calçam sapatilhas ou sandálias. 

Abaixo, a lista de coisas que elas gostam de combinar comparando-se com peças que normalmente escolhemos. 



Bons básicos é que fazem belas produções! 

Blazer, capa de chuva, suéter azul-marinho, camiseta sem manga, pretinho básico, jeans e jaqueta de couro: basta incluir estes sete clássicos em seu guarda-roupa e mesclá-los com peças mais caras quando necessário. 

Em seguida, a escritora passa a ensinar dicas de como sofisticar o look e atingir o efeito desejado. 


Em resumo, o livro é lindo e acho que todas as mulheres deveriam ter esse manual. A moda parisiense se destaca de todas as demais porque possui como essência o conforto e a eventualidade, pois uma parisiense sempre aparenta naturalidade nas combinações, ao mesmo tempo que são elegantes e chics. São a prova que vestir bem, é vestir o que nos cai bem e não aquilo que manda a moda. Ser vítima da moda é sinal de mal gosto.




Se você interessou pelo livro, corra para as livrarias. Vale muito a pena. Na internet, é vendido na faixa de R$42,00 mas nas livrarias esse preço pode chegar à R$29,00 quando pago em dinheiro a vista. Um investimento que vale a pena e é para toda a vida, uma vez que não se trata de um livro de moda, mas de como se vestir adequadamente e de forma atemporal. 



2 comentários:

  1. Ola! Amiga seu post esta muito interessante eu nunca atinei muito pra moda mas com o passar dos tempos a gente vai prestando mais atenção nessas coisas que nós mulheres amamos. Esse livro é uma leitura que vale apena conferir com certeza. E como eu adoro sapatilhas fiquei muito contente em saber que tem look com elas. Parabéns pela cultura compartilhada. Beijos no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrea, as sapatilhas são o elemento mais elogiado no livro. Engraçado que as brasileiras muitas vezes entendem que sapatilhas são sinal de "pobreza" ou vestimenta ruim. Mas lá elas são super valorizada e extremamente usadas. Certas vez eu li que o motivo das parisienses gostarem tanto de sapatilhas, é o fato delas terem que andar muito a pé, pois Paris é imensa e a prioridade delas é andar a pé ou de bicicleta (e não ir de carro como aqui.)

      Excluir

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover