4

Acredite na Bondade




Hoje uma amiga me contou uma coisa muito bonita. Ela  viu um garoto na rua, na faixa de 10 anos a 12 anos, que fez um gesto que lhe abriu um sorriso, mesmo na hora em que ela foi me contar o fato. Ela me disse que o garoto estava muito bem vestido, mas com os bolsos da calça jeans cheios de ração para cachorro. Enquanto andava, alguns flocos caíam. Ela achou curioso e observou atentamente o garoto a fim de descobrir o que ele ia fazer com os bolsos cheios de ração. Me contou que o garoto atravessou a rua ávido, ansioso. Encontrou-se com vários cachorros de rua que tomavam sol no passeio do outro lado. Assim que chegou perto dos animais, foi retirando a ração dos bolsos e satisfazendo a fome daqueles pobres cãezinhos. Tocou-lhes a cabeça amigavelmente e ela lembra que os cães pareciam tão famintos, que o garoto lhe pareceu um salvador. Os cachorros lambiam-lhe as mãos, cheiravam-lhe os bolsos e engoliam a ração numa só vontade.




É tão raro ver esses gestos de bondade. Geralmente as pessoas só sabem colocar esse cachorros pra correr e os pobrezinhos sempre estão com aquela cara de culpa, como se nos pedisse desculpas por eles terem nascido, por estarem nas ruas a ocupar o lugar. 

Mas acho que esse garoto, com esse pequeno gesto, fez algo muito importante e distribuiu não somente comida para esses animais, distribuiu um pouco de calor, de vida. Pouco importa se a ração não resolverá o problema dos cães no mundo. Pouco importa se eles ainda estão com fome. O mais importante não é a ração ou a fome. 

Sempre digo que a bondade só é verdadeira nos pequenos gestos. Naqueles atos que os seres humanos fazem sem ninguém ver. Nas tentativas de abrandar a dor do outro, mesmo sabendo que não se pode curar ou resolver. Como quando eu passo em frente a casa de algumas pessoas e vejo vasilhas de água fresca para servir os animais que andam abandonados e sedento de sede. A esmola dada ao pingente no metrô, mesmo sabendo que aquilo não vai resolver o problema de miséria no país, mesmo sabendo que a esmola é hoje vista como um gesto que sustenta vagabundas. Pois essas pessoas não se importam com isso. Elas apenas ajudam sem pensar, quando percebem a necessidade do próximo. Mesmo elas trabalhando muito, mesmo elas possuindo mil coisas pra fazer, elas param para olhar o outro, ter compaixão pelo outro, sem sequer cogitar algo em troca. Agem no silêncio. Num mundo onde as pessoas não tem tempo pra colocar água na vasilha dos seus próprios animais de estimação, perceber que ainda existe pessoas assim, é grande felicidade. 

video




4 comentários:

  1. Me emocionei com o texto e com o video, lindo demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amei demais esse vídeo! Ele alegrou meu dia! :)

      Excluir
  2. Oi Sabrina ..eu acredito na bondade e cada vez que encontro pessoas assim como você,com a sua atitude eu acredito mais ainda...

    Parabéns por essa postagem tão importante!
    Um Super Abraço
    Estrela,Flores...Melancia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kaka, volte sempre e muito obrigada pela visita! :)

      Excluir

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover