4

A mágica da Arrumação



Gente, eu preciso falar sobre minha experiência de hoje!!!! 
Eu arrumei meu guarda roupa. Não!!! Não pare de ler. Este post é interessante, eu juro!

Não foi uma arrumação qualquer. Foi quase um caminho para a espiritualidade.
Tudo começou com um post aqui do blog. Eu publiquei um quadrinho, do Eff e nele, o personagem comenta que assistiu todos os vídeos da Jout Jout. Eu nem sabia quem era Jout Jout, gente! Mas a tirinha era legal. É essa tirinha aqui

Mas aí, uma leitora maralinda aqui do blog, Marina Menezes, comentou que adora esta tal Jout Jout. Aí eu pensei: Se a Marina gosta, deve ser genial, porque os comentários da Marina são sempre super bacanas. Corri pro canal assistir. 

O primeiro vídeo, foi simplesmente uma luz no fim do túnel. Jout Jout, fala sobre o livro de Marie Kondo, chamado, A mágica da Arrumação. Sério, vocês precisam saber que a roupa de vocês tem vida. E que elas estão meio tristes com a forma que vocês vem tratando elas. Olhem só:



Minha Experiência:


Primeiramente, eu devo dizer que eu tenho uma doença, que eu não sei o nome, mas é o contrário de se ser acumulador. Eu amo, adoro, simplesmente amooo jogar coisas no lixo. Odeio, desprezo, simplesmente abomino, acumulação de coisas. 

Todo mundo adora mostrar o quanto objetos tem: guarda-roupas lotados, coleção de sapatos, gavetas inúmeras de maquiagem, uma casa cheia de objetos de decoração, porta retratos e todo o tipo de muamba e afins. Na minha casa, isso era visto com maus olhos. 

A minha mãe sempre nos ensinou que não deveríamos ficar com roupas que não usamos e doar imediatamente. 

Ela vivia implorando pra gente esvaziar nossos guarda-roupas e nos livrar do máximo de objetos que pudermos. Qualquer coisa que quebrasse, não podia ser guardado, pra se consertar depois. Principalmente, enfeites de mesa ou de quarto. Quando eu acabava de ler um livro, eu doava, passava pra frente. 


Estranho né? Minha mãe sempre foi o contrário de todas as mães, mesmo! Assim, adorávamos casa com bastante espaço, gavetas vazias e estantes sem nada. Pra você ter uma ideia, pra gente, isso aqui é sinônimo de casa chic e bonita:



Então pensei: Vai ser fácil. Meu guarda roupa é pequeno e eu não costumo juntar muita coisa desnecessária. Eu sempre levo roupas que eu não uso pra casa da minha mãe, pra ela doar aos vizinhos e amigos. Sempre jogo tudo desnecessário no lixo. Vai ser moleza. 

Moleza? Pra organizar um guarda roupa pequenininho, no estilo Marie Kondo, levei mais de 4 horas. Só pra arrumar o guarda-roupa e uma gavetinha da mesa de estudos. 

No total, juntei 3 sacos desse aqui. Na foto parece pequeno, mas esse saco é imenso e os três ficaram tão cheios que estão quase rasgando.



Será que vai ter espaço pra guardar as coisas conforme manda Kondo?

Essa foi a pergunta que fiz, assim que vi o vídeo. E esse detalhe quase me fez desistir. Como vocês viram, Marie afirma que as roupas não devem ser postas uma por cima da outra e sim lado a lado. E pior: deve-se evitar colocá-las no cabide. Exceto se a roupa gostar de ficar lá. 

Soa ridículo, mas no fundo, é engraçado que de fato, a gente sabe quando uma roupa não gosta de estar em determinado lugar. Ela se torna feia, ou ela se esconde e você não a encontra mais. Ela começa a te trazer azar quando você a veste. É fato que as roupas são muito geniosas. 

Daí fiquei com certo receio, porque meu guarda-roupa é realmente muito, muito pequeno. Então, eu achava que precisava entulhar as roupas, nas poucas gavetas que tenho. E que aplicando o método, faltaria espaço, certamente. 
Ledo engano. Na verdade, eu não tinha espaço porque eu tinha organizado mal as coisas e guardava muita tralha desnecessária. 

No fim, acabei com uma gaveta praticamente vazia e uma compartição praticamente sem nada. 

Essa roupa me deixa feliz?

Aplicando o método Kondo, saí perguntando a mim mesma: Essa roupa me deixa feliz? E quando vi, já tinha um saco imenso de roupas pra doar. Muitas não me servem, porque emagreci 28 quilos nos últimos meses. E mesmo assim eu insistia em guardar. 

Eu uso esse Objeto?

Fiquei estupefata ao ver a quantidade de pequenos objetos que eu, por algum motivo misterioso, insistia em guardar, mesmo tendo um prazer enorme em jogar tralhas no lixo. 

No total, foram um saco imenso de sapatos, outro saco de objetos inúteis como maquiagem velha e materiais de estudos antigos. E um saco de roupas para doar. Agora imagina uma pessoa acumuladora tentando realizar o método Kondo? Vai precisar de ajuda de profissionais! 


Aqui, um resumo do método da Marie kondo, caso você queira aplicar imediatamente! Se você sente que tem tendência forte a Síndrome de Diógenes, tente realizar o método o quanto antes. Acumular coisas é sempre ruim: para o espírito e a mente. Objetos podem prender você em determinada fase de sua vida, porque representam nada mais nada menos, aquilo que você tem dificuldade de superar. Objetos não são só utilidades, ou sinônimo de riqueza. Presta atenção nas coisas que você tende a acumular e supere. 
Pra ajudar, pense que para cada objeto descartado ou passado adiante, uma coisa nova e muito boa acontecerá na sua vida. 







4 comentários:

  1. Achei interessante a mágica da arrumação, e irei ver com mais calma os vídeos. Recentemente fiz uns testes em minha dieta e perdi quase 6 quilos e percebi que deveria trocar todo o guarda roupa. Grande parte das roupas ficaram folgadas e outras ainda nem tinham sido usadas e acabei doando tudo e ainda falta algumas. Hoje tento montar um guarda roupa com a menor quantidade possível de roupas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Alan. Esse com certeza é meu objetivo. O menor número de coisas possíveis no guarda roupa. E além do mais, quando perguntamos: isso me faz feliz? A gente percebe que não sobra quase nada, mas o que realmente a gente precisa. Obrigada éla visita! <3

      Excluir
  2. Que honra aparecer num post <3 Gosto muito da Jout Jout pelo jeito sincero dela de ser, é raro encontrar isso hoje em dia, principalmente na internet. Mas eu já falei isso né? xD

    Sou dessas pessoas que acumulam. Toda vez que entro de férias dou uma geral no meu quarto (onde ficam todas as minhas coisas), tiro muita coisa que não uso e que não me serve pra nada, roupas, sapatos, etc. e tal, e quando chega nas próximas férias (6 meses entre elas, mais ou menos) olho pro meu guarda-roupa e está todo cheio de novo. Um grande medo que tenho é virar uma pessoa acumuladora, dessas que guardam (literalmente) lixo dentro de casa. Já tenho uma tendência haha'

    Vou me programar pra organizar com esse método assim que tiver tempo, porque sempre uso as mesmas coisas e tenho certeza que tem muita coisa que pode ser doada. Sabe aquelas pessoas que só usam o que está na parte de cima da gaveta? Sou eu. Além disso, gostei da ideia da energia e de usar aquilo que nos traz felicidade, se for pensar, todo mundo deveria fazer isso desde sempre.

    "Antes de descartar um item, agradeça a ele pelo papel cumprido em sua vida" Geente <3<3

    ResponderExcluir
  3. Ahhh, eu também achei lindo essa etapa: agradecer aos objetos pela servidão prestada. Isso é Marie Kondo! :)

    ResponderExcluir

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover