4

TOC e TAG







Há muito tempo eu venho prometendo um post mais pessoal. Estou de fato cansada de blogs cujos assuntos são vis: gosto mais de blogs onde podemos saber mais sobre quem escreve, mas eu mesma, deixei de fazer isso há muito tempo.

O motivos foram vários: parentes começaram a monitorar meu blog, além de pessoas inconvenientes. O lado ruim de se escrever, é que o que você disser pode ser usado contra você. Ou você começa a ser espionada. 
Uma lástima. 

Mas enfim, estou precisando de certo modo, desabafar. E então vou lhes contar um segredo:


Em 2015 eu ganhei uma amiga. E ela é amarga. O nome dela é Depressão. A bem da verdade, as vezes suspeito que ela esteve aqui sempre, a espreita. Mas eu fugia dela: com música, com ilusões, com comida, com livros... 

Mas esse ano, me tornei metodicamente cética: larguei os sentimentalismo platônico de lado, parei de comer de forma excessiva mas ainda ouço música. Largados, pois,  certos "vícios", ela se aproximou ainda mais. 

É incrível a quantidade de coisas que fazermos pra fingir que a depressão não mora com a gente. Dá pra passar a vida inteira sem saber que ela está ali, apenas comprando muitas roupas, enchendo cômodos, cultivando ilusões, diplomas, álcool...

Ajuda? Tentei buscar. Primeiro, com parentes. 
Minha irmã logo me aconselhou: "Há algo de errado na sua vida". Tentou culpar a pessoa mais próxima de mim. Tentei explicar que era algo de dentro e nada que eu modifique fora irá fazer isso parar. Tentei dizer que tentar culpar alguém por algo que já nasceu conosco é absurdo. Mas ela foi relutante. Minha irmã é dessas: prática, capricorniana, sem muito mimi ou sentimentalismo. 

Falei com minha cabeleireira, esta por sua vez, aconselhou-me a parir um filho: "é seu relógio biológico. Arruma filho pra você ver. Não terá tempo pra nada, nem pra se sentir triste." 

Achei ultrajante. Quis dizer pra ela que filhos não podem ser visto como um escape, remédio, ou meio de se atingir a satisfação. Gravidez é coisa séria. Mas concluí que não se pode explicar isso a uma mulher que já tem 3 filhos. 

Procurei uma psicóloga. Há mais ou menos 6 meses estou fazendo tratamento com ela. Eu nunca vou entender bem essas análises desses tipos de profissionais. Me disse que eu sofro do mal do TOC (transtorno obsessivo compulsivo) e TAG (transtorno da ansiedade Generalizada). 


É reconfortante saber que seus problemas tem nome científico. É desesperador descobrir que a cura são remédios que nunca vão te curar. 

Mas não estou reclamando. Só estou exausta

Talvez agora encontrei tempo e oportunidade de chorar. De ser fraca. Pela primeira vez na vida, posso soluçar. 

Mas fica sempre aquela sensação esquisita, bem descrita por Clarice Lispector: "Nunca sei se quero descansar porque estou realmente cansada, ou se quero descansar para desistir".


   

4 comentários:

  1. Realmente não podemos culpar nada nem ninguém por algo que nasce com a gente, mas é a maneira mais fácil que as pessoas encontram pra fugir de si mesmas, já me senti assim também, e procurei auxilio espiritual só assim encontrei conforto. E o fato de assumirmos que não estamos bem já ajuda, é muito difícil falar sobre isso..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Jack. Remédio não curam a alma. :)

      Excluir
  2. Um filho? Essa é a pior ideia que já ouvi na vida! Imagina ter um filho com depressão? Lógico que pode funcionar, mas se não der certo, o que vai ser da criança? Cada uma que o povo inventa!

    Uma amiga minha tem TOC, meu irmão mais velho também, mas ele não tem diagnóstico. Vejo neles como é dificil conviver com algo assim. Já tive depressão, e só quem passou por algo assim sabe como é (e mesmo assim, ainda é diferente pra cada pessoa).

    Se precisar de algo, estou aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não existe nenhuma possibilidade dessa ideia funcionar, Marina. A depressão pós parto atinge mulheres que nunca tiveram depressão, imagina pra quem já tem tendência?
      Espero que você possa ajudar seu irmão. O TOC não é algo fácil de lidar.
      Obrigada pela atenção! :)

      Excluir

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover