0

Seco e Molhado





Eu estou trabalhando e de repente a playlists do Youtube associa meu gosto musical à esta música. Ela tocou meu coração. Porque me fez lembrar de você, mas eu não sabia que era você até eu ver o vídeo e a foto do cantor.

O seu nariz empinado e o mesmo sorriso escancarado. Aquele sorriso quase ofensivo de tão livre, de tão inocente, sem precisar sequer abrir os lábios.







Um brinde, querido- a música diz. 
Um brinde a nós. Você também está casado, assim como a mulher que corta o coração do cantor que tanto me lembrou você.

Não é engraçado? Porque por vezes eu sinto tanto...sinto tanta tristeza, sem pensar em você propriamente dito. Mas eu sinto a sua tristeza. Você me condenou pra sempre. Descobri que essa tristeza vem de você.

Ah, meu querido. Posso fechar os olhos e lembrar de tanta coisa...elas foram tão intensas. Entre nós dois tudo era ao extremo, ao máximo: as brigas, o ódio, o amor. Somos mais um romance trágico, daqueles que nunca acabam bem e nascem pra morrer prematuramente. 

Eu não posso esquecer que foi ao seu lado que me deitei no chão da praça e que fui expulsa da mesma praça uma vez, porque você insistia andar de skate. Não podia. Mas você era louco. Devo deixar registrado no livro da vida, que nunca mais vi estrelas cadentes também. Não teria você se apropriado de todas elas? Acredito que sim. 

Você está casado meu bem. Civilmente, posso dizer. Que graça isso tem? Oh, por favor me explique. 

Porque eu não vejo mais graça em nada e em ninguém. Qual a graça que a formalização do casamento tem? De ter um filho e mais um, no ano que vem?

Talvez eu feche os olhos e tente lembrar daquela insanidade que nós dois compartilhávamos. Mas dois loucos não podem viver bem, eles dizem, eles não podem viver bem. 

E não vivem. Mas é bom ter um amigo louco também. E eu posso guardar pra sempre nossas memórias, a casa em que desaparecemos pela primeira vez ouvindo Enya. A saia hippie da sua mãe que eu sempre quis pra mim. O sorriso doce das suas irmãs

Oh, meu amigo louco. É uma pena tudo ter acabado, ao mesmo tempo, valeu mesmo tudo ter acontecido. Desejo tanto a sua felicidade. Eu sinto tanto a sua revolta. Eu também grito com você todos os dias, sem nunca mais te ver. 

Mas já é tão tarde e eu ainda tenho uma defesa pra escrever. Eu queria mesmo era pular da janela. Certamente, você me daria as mãos e pularia comigo. Por que você não tem juízo? 

Tudo passou e você sabe: eu jamais volto pra trás. Mas nunca esquecerei você. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Caso tenha blog, deixe o endereço do link sempre que comentar. Assim, todos os outros leitores curiosos podem visitar sua página.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando você comenta, me deixa muito feliz! Sua opinião é muito importante.
Tanto que vou até cantar uma canção: Você é lindo (a), mais que demais, você é lindo (a) sim, onda do mar.... (lá, lá, lá, láaaaaaa)

Pin It button on image hover